Espaço da Escrita

British Council oferece segunda edição de treinamento de comunicação científica em inglês para docentes da UNICAMP

O British Council ofereceu o curso “Reseacher Connect: Habilidades em Comunicação Científica para Pesquisadores” na Faculdade de Tecnologia em Limeira entre 13, 14 e 15 de fevereiro. Após a experiência da realização de um curso piloto em 2015 para docentes e alunos de pós-graduação das Humanidades, a Unicamp foi novamente selecionada para receber este curso.

Voltada exclusivamente para docentes, esta segunda edição contou com 19 docentes: nove da Faculdade de Tecnologia (FT); sete da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA); e três da Faculdade de Odontologia (FOP).


Docentes da Unicamp que participaram do curso de comunicação científica.

Cofinanciado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo/FAPESP, o curso ofereceu quatro módulos: 1) Know your audience; 2) Academic writing; 3) Persuasive proposals; 4) Presenting with impact.

“Escolhemos esses módulos por serem tópicos que auxiliarão muito os pesquisadores, principalmente aqueles em início de carreira” comenta o Prof. Vitor Rafael Coluci da FT, coordenador local do curso na Unicamp.

Preparada com o auxílio técnico de Marcelo Raimundo da Silva, do Espaço da Escrita/Pró-Reitoria de Pesquisa, e apoio técnico de Thiago Pinheiro Rosa, da Secretaria de Pesquisa da FT, a proposta foi pensada para auxiliar principalmente docentes da FT e da FCA, unidades da Unicamp que estão completando 10 anos de docência em 2019.


Instrutora do British Council, Dra. Stella Mascarenhas-Keyes
e os organizadores do curso: Prof. Vitor Coluci (FT), Thiago Pinheiro (Secretária de Pesquisa/FT) e Marcelo Raimundo da Silva (Espaço da Escrita/PRP).

Para a Prof.ª Cínthia Pereira Machado Tabchoury da FOP, a atualização permanente de docentes neste tema é de suma importância, mesmo para aqueles que já atuam há muitos anos em atividades de docência e pesquisa: “Penso que este curso é muito importante e fico muito satisfeita de ter essa oportunidade, porque a gente pode aprimorar tanto a escrita quanto as nossas apresentações, aprimorar de uma forma formal e técnica. Obviamente que isso trará impactos para nossos alunos de graduação e de pós-graduação, no sentido de como nós pesquisadores nos apresentamos e levamos a Unicamp para outras instituições e contextos.”


Técnicas para melhorar a escrita científica foram trabalhadas durante o curso como, por exemplo, durante revisões de textos elaborados pelos participantes.

De acordo com a Prof.ª Lubienska Cristina Lucas Jaquiê Ribeiro da FT, o curso tem enorme relevância principalmente para os novos docentes da Universidade: “Acredito que é muito importante para nós pesquisadores porque, muitas vezes, nós não identificamos a melhor forma de escrita ou de apresentação oral para determinado público. E é importante até para o convencimento dos órgãos de fomento, para conseguirmos um retorno maior de financiamento de bolsas e de pesquisas. Acho que um curso como esse é fundamental, não só no início, mas em qualquer etapa da carreira do professor, de modo que ele se sinta um pouco mais seguro e mais confiante na hora de realizar a divulgação de suas pesquisas”.

Já para a Prof.ª Larissa Galatti da FCA, o curso pode contribuir para ampliar participação regional e internacional da Unicamp: “Acho muito importante essa iniciativa, especialmente dentro da Universidade, pelo estímulo que nos dá para internacionalizar a produção científica. Estamos tendo essa oportunidade de pararmos três dias para, de fato, podermos estudar um pouco melhor, pensar sobre as habilidades que a gente já tem e precisaria desenvolver e, a partir daí, ter melhores condições de divulgar o que já estamos fazendo dentro da universidade, de também acessar outras universidades, principalmente no sentido de ampliar o intercâmbio científico e o diálogo com a comunidade. ”

As impressões e opiniões das docentes coincidem com que o pensa a instrutora do curso, Dr.ª Stella Mascarenhas-Keyes “Communication Skills in English are important in any country, especially in countries in which people do not have English as the first language. It is important to acquire the skills because English is an international language, whether we like it or not.”

A instrutora também aponta que esse tipo de treinamento busca reduzir eventuais desvantagens de pesquisadores que não tem o inglês como a língua mãe:The important thing about Researcher Connect is that it gives the opportunity to develop the skills to be on the level playing field with other international researchers. So if they are collaborating internationally, with researchers from the UK or from the US, for example, where English is the first language, they should feel at the disadvantage, they should not feel when they are developing a proposal, or discussing a proposal, or presenting a proposal, that they are at a disadvantage from those whose English is a first language. They need to feel that they are equal, so that their ideas are put forward fairly enough, so other people can use them… that they can write an academic paper as the first author… very often they don’t quote themselves as the first author, even though they’ve done all the research, because they can’t write in English, as well as a native English speaker.”

O curso também desenvolveu nos docentes habilidades de trabalho em equipe: “They are from different academic disciplines and they are put to teamwork situations, where they work with people from different academic backgrounds. It is a great challenge. Some seem to be very shy, not because they are not good professionally, but because they are not confident in English. However, I know by experience, by the end of the course, their confidence will improve a great deal”, comenta Dra Stella.


Discussões e trabalho em grupo foram constantes durante o curso.

“Esperamos agora que cada participante possa compartilhar os conhecimentos adquiridos no curso com seus orientandos e com outros docentes, assim como tentamos fazer aqui” comenta o Prof. Vitor que, após treinamento sobre escrita acadêmica financiado pela Unicamp em 2016 na Universidade de Bath (UK), vêm atuando também em cursos de escrita científica (visite o site do Prof. Vitor aqui).

Reportagem e fotos: Prof. Vitor Coluci e Espaço da Escrita/Pró-Reitoria de Pesquisa